Tecnologias Open Source

Depois de falar da história do blender e da criação dos open movies, senti a necessidade de falar um pouco mais sobre o conceito de Open Source, que está totalmente relacionado com o software em questão.
Afinal, o Blender é open source.

Softwares e bolos

Você acorda com fome, vai até a padaria e compra um bolo confeitado que lhe chamou atenção, e junto com o bolo o padeiro lhe entrega a receita do mesmo. Você come o bolo mas percebe que aquele gosto de canela pode ser substituído e melhorado por alguma raíz nobre da Amazônia, então você altera a receita e faz um bolo que atenda mais ao seu paladar hipster.
O sabor do bolo ficou tão incrível que você acha justo compartilhar a sensação de comê-lo, então você volta a padaria e oferece a receita modificada ao padeiro, junto com um pedaço é claro.
O padeiro fica sem palavras ao saborear aquela delicia açucarada e então resolve produzir a versão modificada em vez daquela que costumava fazer. E como é de costume, ele distribui a receita a todo mundo que compra o bolo.
Dessa forma a receita vai ser melhorada com mais velocidade e qualidade, pois mais pessoas contribuíram com seus conhecimentos e experiências
E este é o princípio básico das tecnologias Open Source.

Princípios Open Source

A distribuição deve ser gratuita, tanto do programa em si quanto do seu código fonte (receita), e não deve discriminar nenhum grupo de usuários ou uso, ou seja, qualquer um pode baixar e fazer o que vier na cabeça com o software.
A modificação livre do software também deve ser um princípio garantido, onde qualquer desenvolvedor pode criar novas funcionalidades e oferecê-las ao mantenedor para serem incorporadas ao software, mas nada proíbe que este desenvolvedor crie uma nova versão derivada mantida por ele.

Licenças Open Source

Atualmente existem várias licenças Open Souce, como por exemplo a GNU GPL, que é a licença utilizada pela Blender Foundation para distribuir o Blender. Como existem diversas licenças, cabe a cada distribuidor escolher qual delas vai ser a licença de seu software.
Algumas licenças mais populares:logoosi

  • GNU General Public License (GPL)
  • Apache License 2.0
  • Mozilla Public License 2.0
  • Eclipse Public License

 

Software livre

Indo um pouco além do Open Source, o conceito de software livre prega alguns outros princípios e liberdades que vão além de uma metodologia de desenvolvimento e distribuição e vão para um contexto de movimento social, mas isso é assunto para um outro post.

Open Hardware

Projetos como o Arduino mostram que o conceito de Open Source não está fixo aos softwares. Com o projeto todo aberto, ele facilita prototipação com baixo custo para engenheiros, artistas, desingers, etc.
E este nem é um conceito novo, em 1900 Santos Dummont, aquele que todos conhecemos, já abria mão de patentear seus projetos, pois não enxergava o avião como uma propriedade de uma pessoa ou empresa, mas sim como uma conquista da humanidade e que por sua vez deva estar acessível a todos.

Placa de Arduino

Placa de Arduino

Pagando o leitinho das crianças

Desenvolvedores também precisam comprar comida e videogames, e a pergunta que vem a cabeça de todos é como um projeto complexo é financiado se o programa é distribuido de graça. A resposta está em modelos de negócio alternativos, por exemplo, o Instituto Blender sobrevive da venda de treinamento, doações e contribuições de código dos usuários, já o projeto Arduino se financia através da venda de hardware.
Assim, cada projeto Open Source desenvolve o método que melhor funciona para o contínuo desenvolvimento.

Bom, agora que você já conhece um pouco sobre Open Source, irei trazer mais conteúdo sobre o assunto aqui, principalmente sobre os softwares em questão.
Gostou do assunto? Tem algo a contribuir? Falei algo errado (acontece, hehe)? Fique à vontade para postar nos comentários abaixo :)

Você também pode curtir a página no Facebook ou me seguir no Twitter, vejo você lá!

Comentários

  • José Lopes

    Olá! Acho que voce cometeu um equivoco nessa afirmação:
    “A distribuição deve ser gratuita, tanto do programa em si quanto do seu código fonte”

    Errado!
    Um programa não precisa ser gratuito para ser open source, o usuário tem que ter é direito a acessar seu codigo-fonte.
    Um exemplo disso é a distruibuição Rad Hat que é open source porém para ser obter é necessário comprar uma licença.

    • Eduardo Garcia

      Dessa eu não sabia, interessante oO

    • https://plus.google.com/u/0/+sgmcarvalho/ Sérgio Carvalho

      O Red Hat tem tecnologia fechada, serviços pagos e é uma marca registrada, por isso que eles podem “vender”, quem não quiser comprar só usar o Cent OS ou pegar o código fonte de Red Hat e compila(vai ficar igual o Cent OS).

      Em algumas licenças o desenvolvedor pode fechar o código ou adicionar funcionalidade de código fechado ao software. Assim ele pode distribuir seu Software pago ou o gratuito sem a funcionalidade extra. Acho que se parar para pensar existe muitas empresas que adotam esse modelo de negocio, é o famoso free e o premium.

  • Guest

    “Desenvolvedores também precisam comprar comida e videogames” kkk
    Achei bem legal a forma que você usou a receita do bolo para explicar o que é como funciona o software livre que é algo genial! Assim como o Blender, KDEnLive, GIMP e outros programas fantásticos.

  • http://informaticode.com.br/ Junior Evangelista

    “Desenvolvedores também precisam comprar comida e videogames” kkk
    Achei
    bem legal a forma que você usou a receita do bolo para explicar o que é
    como funciona o software livre que é algo genial! Assim como o Blender,
    também temos ótimos softwares Open Sources disponíveis gratuitamente, como por exemplo o KDEnLive, o GIMP e outros programas fantásticos.

  • edulima131

    Eu tenho algo dizer, obviamente o software livre e a comunidade são nitidamente parte da evolução mental da humanidade, onde aprender linguagens são expansão dos nossos pensamentos em compreensão do universo.